Bossa mineira

janeiro 27, 2012 Nilda Silva 0 Comentários

Olá pessoal, boa tarde!

Ana Magalhães fez de sua casa no Rio de Janeiro um recanto para móveis rústicos, peças de design contemporâneo e objetos herdados da família.

A ESTILISTA e empresária Ana Magalhães:
coração mineiro e estilo carioca.
Depois de estar à frente da equipe de criação da grife Maria Bonita Extra por quatro anos, a estilista mineira
Ana Magalhães decidiu dar um novo rumo a sua carreira. Deixou a marca em junho deste ano e, após dois meses de descanso, abriu um escritório de estilo juntamente com a antiga parceira, a também estilista Luciana Ferreira. "Estava cansada da correria do dia a dia na empresa. Precisava ter um tempo para mim", diz. O ritmo de vida mais tranquilo permite hoje que ela planeje melhor sua rotina e dedique mais tempo à filha, Nina, 8 anos, e a seu marido, o administrador de empresas Eugênio Mendes, em seu confortável apartamento, de 210 m2, no bairro carioca do Jardim Botânico.

Aparador e obra do grupo de grafite Fleshbeck Crew
No endereço, onde a família mora há quatro anos, móveis de madeira de jacarandá, trazidos de Minas Gerais, decoram a sala de estar ao lado de ícones do design contempoâneo. Um espaçoso sofá de couro da loja Novo Ambiente é o aconchego perfeito para uma boa conversa mineira. As paredes ganharam cores com uma grande tela da equipe de grafite Fleshbeck Crew. "A menina Nina é um personagem constante nos trabalhos do grupo, que estão espalhados pelas ruas do Rio. Encomendei um quadro para minha casa quando soube o nome dessa bonequinha de traços orientais", conta, pensando na filha.

NA SALA DE JANTAR O móvel mineiro vira um bar
 e também serve de apoio para o café.
A herança mineira também aparece em diversos objetos, como a estatueta sobre a mesa de centro e a santa Nossa Senhora da Ajuda, protegida por uma cúpula de vidro, que decora o aparador. Ambas as peças pertenciam à avó de Ana. "Coloco bilhetinhos com pedidos sob os pés da santinha, que sempre são atendidos", revela. As luminárias de linhas arrojadas foram compradas na loja Lumini. Para garantir a privacidade, Ana optou por cortinas leves para o apartamento. "Não abro mão do linho nas janelas. Faço lavagens periódicas para que o tecido fique sempre branquinho e engomado", explica. A estilista também se dedica a criar arranjos para casa com flores, cascas de pínus e cachepôs de vidro, que ela compra no mercado do Cadeg, na Zona Norte. "Gosto principalmente de orquídeas. Aprendi a recuperá-las. A segunda florescência é sempre a mais bonita", diz. Girassóis decoram ainda o tampo de madeira envelhecida da mesa de jantar, que ganha um toque contemporâneo com as cadeiras Charles Eames, da loja Arquivo Contemporâneo.

O sofá de couro é o xodó da moradora.
Molduras de quadros de antiquários aparecem ainda dispostas sobre o piso, decorando um canto da sala, enquanto um grande espelho na parede garante maior amplitude ao espaço. O design nacional marca presença com a poltrona Pantosh, dos designers cariocas Leonardo Lattavo e Pedro Moog, da Lattoog. "A minha menina dos olhos é o pequeno móvel de jacarandá, na passagem para o corredor, que uso como bar", explica.

A SALA DE ESTAR tem uma mistura de móveis 
Ana faz visitas frequentes à família em Belo Horizonte, mas não pretende deixar o Rio. "A cidade é minha casa." Nos planos da estilista, está ainda uma grande reforma no segundo andar do apartamento para aumentar o pé-direito da sala. Na vizinhança de seu edifício, ela costuma visitar o Parque Lage com a filha. "Não preciso ir longe. É quase um jardim privado", conta, brincando. O Rio conquistou definitivamente o coração de Ana, mas a estilista não perde sua mineirice. "O carioca gosta de rua. Eu gosto de curtir meu apartamento. Sou caseira", completa.
 mineiros e contemporâneos.

Fonte: ELLE

0 comentários: